(Port) Brazilian govm't seeks to privatize water

Gorojovsky Gorojovsky at arnet.com.ar
Sat Sep 1 07:03:08 MDT 2001


CARTA ABERTA: FHC quer privatizar a água 

Um novo colapso - O projeto de lei apresentado pelo 
governo federal no início deste ano, trouxe para muitos 
segmentos sociais, em particular parlamentares, 
estudantes, sindicatos do setor de água (Sindae) e 
partidos progressista, muita indignação. Este mesmo 
governo, que não se atentou às responsabilidades de 
gerenciamento e cobrança no sistema de energia, através 
(Aneel) e que hoje gera para o povo brasileiro a 
possibilidade de um grande colapso, quer agora 
privatizar também a água colocando em risco o 
atendimento à população. 
Armadilha - No entanto, o PL 4147/2001 tem encontrado 
grande resistência na sociedade organizada, já que se 
trata de um projeto que retira do município o direito 
de exercer sua tarefa para comunidade local. Fernando 
Henrique Cardoso ao longo desses anos, freou toda e 
qualquer possibilidade de investimento federal, a 
exemplo dos recursos do FGTS e do PlANAsa, que 
financiavam o setor de saneamento básico aos municípios 
em todo o território nacional. Recursos esses que vêm 
sendo utilizados para privatizar outros serviços como 
telefonia e energia, levando inclusive ao sucateamento 
das empresas públicas, para ganhar a opinião popular a 
ser favorável às privatizações: uma verdadeira 
armadilha privatista. 
Reféns do FMI - A falta de informação pelos veículos da 
grande imprensa contribui para a desmobilização da 
população. Desta forma, muitas pessoas não têm como 
opinar ou participar do debate. A asfixia financeira é 
determinada pelos compromissos junto ao FMI: uma arma 
do capital estrangeiro aos países pobres que solicitam 
ajuda e ficam reféns da política neoliberal. 
A privatização do saneamento não interessa à população 
nem aos trabalhadores. O Projeto de Lei 4147/2001 é um 
afronte aos servidores municipais e aos usuários, 
sobretudo porque pretende retirar do município o 
direito de organizar as suas prioridades de 
investimentos e as benfeitorias sociais que são de sua 
responsabilidade e acaba com a universalização dos 
serviços. Uma derrota para sociedade. 
O sucateamento da maioria dos serviços públicos e a 
falta de investimentos do governo federal na área 
social, poderá se transformar em alternativa para 
ganhar a opinião pública a favor das privatizações dos 
serviços de saneamento. 
Contudo, é importante que a população e os 
trabalhadores tenham uma posição contrária ao 
desemprego gerado pelo capital privado, contra a 
irresponsabilidade de se tentar fazer da fonte da vida, 
a água, uma fonte de lucros, construindo assim uma 
sociedade degenerada e sem identidade com o valor da 
vida. 
Já temos a experiências negativas ocorridas em 
Cochabamba na Bolívia, Buenos Aires e Tucumám na 
Argentina, onde os serviços de saneamento foram 
privatizados e os resultados catastróficos. No Brasil, 
a Região dos Lagos/RJ e nossa cidade vizinha, Limeira, 
onde os serviços são controlados pelo capital privado, 
ocorreram aumentos abusivos e queda na qualidade e no 
atendimento. 
A votação do PL 4147/ 2001 está marcada para acontecer 
em 14 de setembro em caráter de Urgência 
Constitucional. Vamos pressionar para derrubar este 
projeto. Envie mensagens contrárias ao PL 4147/01 ou 
deputados at camara.gov.br. e. Vamos dizer não à 
privatização. (Fonte: Sindae) 

Sindicato do Trabalhadores na Captação, Tratamento e 
Serviços em Esgoto e Meio Ambiente de Cascavel e 
regiões Oeste e Sudoeste do Paraná 



Néstor Miguel Gorojovsky
gorojovsky at arnet.com.ar



More information about the Marxism mailing list